sexta-feira, 15 de abril de 2011

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes, não são promessas. E comeca a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que não importa quao boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que leva-se anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem da vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa - por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a ultima vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.

Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve.

Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.

domingo, 10 de abril de 2011

Nicoletta Ceccoli

Há poucos dias tive o prazer de conhecer aqui pela internet(em um dos meus muitos"passeios"pelo encantado mundo que é a internet)o trabalho da artista italiana Nicoletta Ceccoli,e me encantei por seus desenhos e gravuras,pois alguns me lembram muito a garotinha do poema"Hello Stranger"da Ginger Foutley,me lembrou tambêm o lado gótico da Emily The Strange,e me lembrou de looooonge as menininhas da Gorjuss,porem essas tem um lado doce e meigo;ao contrário das menininhas da Nicolleta que passam um ar meio sombrio e misterioso.Eu amei os desenhos dela e percorrí a internet inteira pra vê se achava algo mais ou se achava"coisas fofas"como agendinhas,canetas,bonequinhas,bolsas..da Nicoletta.Porem ao contrário das menininhas da Gorjuss ou até mesmo da Emily,que se acha de um tudo pra comprar,eu nao conseguí achar praticamente nada da Nicoletta.Mas quem é Nicoletta Ceccoli?Bom,como disse antes,ela é uma artista italiana e seu trabalho é extremamente tocante e ao mesmo tempo surreal e estranho.Ela ilustra muitos livros infantis,com menininhas de olhos grandes em universos surrealistas e oniricos,em um clima ligeiramente dark e sombrio.Conhecer sua obra e como um mergulho ao inconsciente infantil,que remete as nossas primitivas memorias da infancia;ela tem livros infantís ilustrados na Itália, Reino Unido, EUA e outros países.Gostaram?Entao vejam esses lindos desenhos dessa artista maravilhosa que é a Nicoletta Ceccoli.Enjoy It!!! ;0)










E sabem oque mais as ilustracoes da Nicoletta me lembrou?Me lembrou as ilustracoes dos livros da saga"Griffin and Sabine"...quem já lêu os livros da serie,irá concordar comigo rs ;0)

Colírio do mês

Com as festas de final de ano,as férias de Janeiro e Fevereiro e tudo mais;eu praticamente sumí aqui do blog,e portanto eu fiquei 3 meses(ou seriam 4?)sem postar muito e sem postar o colirio do mês.Portanto...resolví posta-los agora todos juntinhos(para deleite de nossos olhos rs).
                                          Jason Lewis
                                       Chris Carmack
                                          Todd Sanfield

                                            William Levy

Me empolguei tanto que acabei colocando colirio demais nos olhos rsrsrs.Gostaram meninas?Pois é...eu tambêm rs ;0)
"I believe that everything happens for a reason. People change so that you can learn to let go, things go wrong so that you appreciate them when their right, you believe lies so you eventually learn to trust noone but yourself, and sometimes good things fall apart so better things can fall together." -Marilyn Monroe

sábado, 9 de abril de 2011

Colecionismo...=T.O.C ?

Lí este pequeno texto em uma comunidade no orkut e achei interessante,pois jamais ví o colecionismo até entao,como uma forma de TOC.Eu tenho vários tipos de TOC e faco tratamento há mais de um ano para tentar controlar a situacao e gracas a Deus desta vez eu tenho visto resultados;depois de lêr o texto é que fui perceber que de fato uma coisa tem muito a ver uma com a outra;as duas coisas andam muito juntas.Enfim..achei interessante,me identifiquei e gostaria muito de compartilhar com vcs.Aqui vai:
Como comentamos o colecionismo é um dos sintomas considerados difíceis de tratar, no TOC, não respondendo aos medicamentos ISRS e respondendo pouco à terapia cognitivo-comportamental. A pouca resposta à terapia deve-se em grande parte à ausência de motivação por parte do paciente em buscar tratamento, pois ele se sente confortável, seguro e sente até um certo prazer ao lado do amontoado de objetos. Desfazer-se é penoso, razão pela qual dificilmente irá buscar o tratamento por si próprio. São os demais membros da família os que mais se incomodam com o fato de os espaços estarem tomados por coisas inúteis e pressionam os colecionistas a buscar tratamento. Segundo Edna Foa se a relação com outra pessoa tem uma grande importância para o paciente, e se a compulsão por armazenagem compromete a continuidade da relação, o tratamento tem mais chance de ser bem sucedido. Mas nem sempre esse é o caso. Na maioria das vezes a situação está cristalizada a muitos anos e se não for por alguma razão externa (mudança de casa ou apartamento, necessidade por razões de saúde, nascimento de filho), o armazenador dificilmente fará algum movimento em relação á mudança.
Medicamentos
Compulsões de armazenagem ou colecionismo não respondem ao tratamento padrão com medicamentos antiobsessivos ou a resposta é muito pequena.
Ando devagar porque já tive pressa
e levo esse sorriso, porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe
eu só levo a certeza de que muito pouco eu sei, eu nada sei
Conhecer as manhas e as manhãs,
o sabor das massas e das maçãs,
é preciso amor pra poder pulsar,
é preciso paz pra poder seguir,
e é preciso a chuva para florir.
Sinto que seguir a vida seja simplesmente
conhecer a marcha, ir tocando em frente
como um velho boiadeiro levando a boiada,
eu vou tocando os dias pela longa estrada, eu vou,
de estrada eu sou
Conhecer as manhas e as manhãs,
o sabor das massas e das maçãs,
é preciso amor pra poder pulsar,
é preciso paz pra poder seguir,
é preciso a chuva para florir
Sinto que seguir a vida seja simplesmente
conhecer a marcha, ir tocando em frente
Cada um de nós compõe a sua história,
e cada ser em si carrega o dom de ser capaz,
e ser feliz
Conhecer as manhas e as manhãs,
o sabor das massas e das maçãs,
é preciso amor pra poder pulsar,
é preciso paz pra poder seguir,
e é preciso a chuva para florir
Sinto que seguir a vida seja simplesmente
conhecer a marcha, ir tocando em frente
Cada um de nós compõe a sua história,
e cada ser em si carrega o dom de ser capaz,
de ser feliz...